Contos e parábolas

Quem planta com lágrimas, colherá os frutos com muita alegria

As pessoas estão acostumadas ao fácil. Acham que tudo na vida deve vir de “mão beijada”. No entanto, para conquistar o que deseja é preciso esforço, empenho e muita dedicação. O segredo é ter paciência e subir degrau por degrau.

Carta vez, li um artigo no Guiness Book, o Livro do Recordes, sobre um homem que gostaria de bater um recorde e, para tal, engoliu uma bicicleta. Sim, ele engoliu uma bicicleta! Vocês sabem como? Ele a triturou em micro pedacinho e os engoliu. Tem louco para tudo nessa vida, não é mesmo?

Desse artigo extrai uma mensagem: se você tem metas e objetivos, precisa ir por partes. Não há como cortar caminho. Somente damos valor para aquilo pelo qual lutamos e nos esforçamos para conquistar.

Certa vez, escutei a história de uma mãe que não aguentava mais o filho à toa em casa, sem uma atividade. Ele não trabalhava, não estudava e dormia o dia inteiro no sofá. O pai também estava muito bravo com a situação.

Um dia, a mãe teve uma grande ideia!

Disse ao rapaz: “Filho querido, saia de casa. Darei a você, diariamente, cem reais. Você sairá, seu pai pensará que foi trabalhar. Ao final do dia, quando voltar com o dinheiro, fruto do seu “trabalho diário”, ele se acalmará um pouquinho”.

Na manhã seguinte o rapaz acordou cedo, foi ao shopping, ficou por lá o dia inteiro. Ao anoitecer, voltou para casa com o dinheiro nas mãos e mostrou ao pai.

O homem pegou a nota de cem reais e a rasgou. “Sei que não trabalhou. Quer me enganar”, disse. O menino não sabia o que fazer. A mãe se aproximou dele, sem que o pai pudesse ouvir, falou: “Filho, você foi ao shopping no qual seu pai almoça todos os dias. Ele certamente o viu. Você deve passear em um lugar mais afastado”.

Ele a ouviu e, no dia seguinte, foi a um lugar mais distante. Contudo, sempre que voltava com a nota na mão querendo mostrar ao pai que estivera trabalhando, este rasgava a cédula. Até que um dia, o menino “tomou vergonha na cara” e resolveu trabalhar de verdade. Ele se esforçou, suou a camisa. Voltou para casa cansado com os cem reais do trabalho nas mãos. Foi até o pai mostrar a nota com muito orgulho.  Este já estava prestes a pegar o dinheiro para rasgar quando o menino implorou: “Não, não, não, pai!” Não rasgue essa nota, por favor! Não faça isso, pois trabalhei por ela!”

O pai retrucou: “Ah, se você agora implora por ela, suplicando para que eu não a rasgue, quer dizer que está dando valor ao dinheiro. Isso é sinal de que realmente trabalhou por ele.”

A mensagem que quero deixar é: desconfiem do fácil e lutem por seus ideais com muito esforço e determinação.

Como o grande Rei David já disse: “Hazorim bedimá, beriná ictsoru” – Quem planta com lágrimas, colherá os frutos com muita alegria”.

 

Trecho Extraído do Livro “Já Pensou Nisso?” de Rav Sany, à venda na livraria Sêfer.

Comentário