fbpx
Calendário Judaico

Checklist de Pêssach

Checklist de Pêssach

A festa de Pêssach é uma das mais importantes do calendário judaico e ela está se aproximando – começa ao entardecer do dia 15 de abril de 2022 e termina ao anoitecer do dia 23. Por isso, queremos garantir que você tenha tudo que precisa para comemorá-la de forma perfeita! Alguns objetos são essenciais, e por isso preparamos uma série de emails para você conhecer cada elemento e aproveitar para adquirir aqueles que estiver precisando. 

Preciso de uma keará?

A keará é o prato cerimonial usado no sêder, e sua mesa de Pêssach não estará completa sem ela! É uma espécie de bandeja com seis divisórias, cada uma destinada a um dos alimentos simbólicos descritos na Hagadá, o livro religioso que traz o roteiro de textos e rezas deste jantar tradicional. 

Existem kearót (plural de keará, em hebraico) de diversos materiais, tamanhos e formatos, e todas são aceitas! O importante é ter espaço para cada um dos elementos:

  • beitsá: ovo, em hebraico. O ovo cozido e chamuscado nos recorda osacrifício de Chaguigá que era oferecido nesta data no Templo Sagrado de Jerusalém. Além disso, por ser uma comida associada ao luto no judaísmo, o ovo presta homenagem à dor que sentimos até hoje pela destruição de nossos templos.
  • zerôa: pescoço ou asa de frango ou peru, chamuscados. Este elemento da keará não deve ser comido. Sua presença nos recorda o sacrifício de Pêssach que era realizado no Templo Sagrado de Jerusalém e seu nome (braço, em hebraico) remete à alusão simbólica da força com a qual Deus resgatou o Povo de Israel da escravidão no Egito.
  • marór: raiz forte ralada (mas pode ser também alface romana), simbolizando a amargura da escravidão.
  • carpás: Verdura ou legume, como salsão, rabanete ou batata cozida, mergulhado em água salgada, simbolizando as lágrimas amargas derramadas por nossos antepassados.
  • charrósset: pasta  de nozes e maçãs raladas misturada com vinho, simbolizando a argamassa na qual trabalhavam nossos antepassados no Egito.
  • chazéret: alface romana (meticulosamente inspecionada e limpa de vermes e impurezas), que será utilizada como uma segunda porção de marór.

Escolha sua keará preferida para combinar com a sua mesa:

Crianças na mesa do sêder

Uma das melhores formas de atrair o interesse das crianças e incluí-las na parte cerimonial do jantar é tratá-las como integrantes ativos do sêder. Da mesma forma que os adultos têm sua keará e seus alimentos simbólicos, os pequenos curtem muito ter essa independência e comandar seu próprio Pêssach. Já pensou em providenciar uma keará infantil para sua criança? Você pode adaptar os alimentos no prato, e assim a brincadeira vira também um lanche, enquanto não chega a hora da refeição. Com uma keará em mãos, aliada à uma Hagadazinha de Pêssach, os oficiantes mirins ocuparão um local de importância na mesa e se sentirão alegres em compartilhar tudo o que aprenderam sobre uma das mais importantes festas do calendário judaico!


Agora sim – você já providenciou a keará do sêder de Pêssach e uma keará infantil para aguçar a curiosidade e a participação dos pequenos! 

As explicações de como montá-la e como utilizá-la durante as 10 etapas do jantar estão na Hagadá, o “roteiro” do sêder, então não esqueça de conferir também se você tem hagadót (plural de hagadá) para cada um dos seus convidados. Preparando tudo com antecedência, sobra bastante tempo para curtir a preparação de um dos mais especiais e conhecidos feriados do calendário judaico! 

Vale a pena lembrar também que temos o costume de presentear familiares, amigos e anfitriões, e uma keará nova, mesmo para aqueles que já tem uma, sempre será muito útil!Não tem Pêssach sem matsá!

As comidas típicas são parte intrínseca do judaísmo, e o alimento simbólico da festa de Pêssach é a matsá, o pão ázimo, não fermentado, citado no livro bíblico de Êxodo, quando é narrada a libertação do Povo de Israel da escravidão no Egito. De acordo com a história, enquanto estavam se preparando para a jornada pelo deserto, não houve tempo suficiente para o pão fermentar antes de assar, e os israelitas saíram às pressas – antes que o Faraó se arrependesse e proibisse sua saída – levando o alimento que tornou-se a comida típica da comemoração deste feriado, nos milênios seguintes e até os dias de hoje. 

Além de comê-lo durante todos os dias de Pêssach (que dura 8 dias, fora de Israel), a matsá é elemento obrigatório da mesa do sêder. Sob a keará, devem ser colocadas 3 matsót, cada qual simbolizando uma parte do povo: cohanim (os sacerdotes, descendentes de Aharón, irmão de Moisés), levi’im (levitas, descendentes da tribo de Levi) e Israel (os descendentes das outras tribos israelitas).

Cada integrante do jantar precisa comer, pelo menos, 2 folhas de matsá entre as diferentes partes descritas na hagadá em cada sêder (fora de Israel, são duas noites com jantares cerimoniais completos). Sugerimos calcular ao menos uma folha a mais por integrante – matsá com patê, quebradinha na sopa ou mesmo com uma simples pitada de sal é difícil de resistir – resultando num total de 6 folhas por integrante para as duas primeiras noites. Parece confuso? Não se preocupe que está tudo explicado direitinho da Hagadá de Pêssach, o livro que te guia por todas as 10 etapas do jantar cerimonial do feriado religioso. Se ainda não tiver 

Nos outros dias de Pêssach, não se pode comer pão, biscoitos e outros tipos de chamêts (alimentos fermentados). Você pode usar a matsá como substituto para refeições e lanches, ou mesmo quebrá-la e usar numa série de receitas deliciosas. 

Em resumo: não tem Pêssach sem matsá – bastante matsá

Em nosso site, disponibilizamos caixas de 1kg de matsá nacional do fresquíssimo lote de 2022 e enviamos para todo o Brasil. Quanto mais caixas você levar, mais barato será o valor unitário. Por isso, calcule quanto você precisa e fique tranquilo pelo resto do feriado, só curtindo nossa recém adquirida liberdade e a santidade deste evento especial. Melhor pecar pelo excesso – se sobrar, você pode continuar saboreando nos meses seguintes, usando também no lugar da chalá de shabat.

O lugar da matsá na mesa de Pêssach

Como já mencionamos, o lugar da matsá na festa de Pêssach é central. Na mesa de Pêssach, ela fica localizada em três locais. O primeiro, e principal, é sob a keará, numa cobertura especial, subdividida em 3 “andares”, de acordo com as 3 partes do povo que mencionamos anteriormente. Uma linda cobertura (ou pano) de matsá traz ainda mais beleza para a mesa de Pêssach! A segunda posição da matsá na mesa é num local central a todos os participantes, para que possam acessar quando necessário (e quando a vontade bater!). Vale a pena ter um bonito e prático porta-matsá que confira ao alimento o devido destaque, torne-o parte integrante da decoração da mesa e, de quebra, conserve-o fresco e crocante durante a duração de toda a festa. O terceiro lugar – e o preferido das crianças e adolescentes – é o pano do aficomán, um pedaço de matsá que é separado e escondido durante o sêder. 

Se você está procurando um presente para amigos, familiares ou para seu anfitrião, esses objetos são uma ótima ideia – mesmo quem já tem, vai adorar a versatilidade que estes elementos proporcionam! Veja quanta variedade de designs, materiais e tamanhos que temos em nosso site para agradar todos os gostos, do moderno ao tradicional:

Tem Hagadá para todos os convidados?

O Povo Judeu é o povo do livro, não é mesmo? Literalmente, temos um livro para cada momento do dia, da semana, do ano… E Pêssach, a festa mais esperada do calendário judaico, não é exceção! O principal livro do feriado judaico que se aproxima é a Hagadá de Pêssach. Além de explicar em detalhes o cerimonial do sêder, o tradicional jantar de 10 partes, a hagadá traz os textos, as músicas e as rezas que precisam ser recitadas nesta data, narrando os eventos históricos ocorridos no Egito, as discussões rabínicas acerca dos costumes da festa e a liturgia que aborda, especialmente, o louvor a Deus pelo resgate do Seu povo.

O curioso é que a autoria desta obra não é conhecida. O ritual era transmitido de forma oral e familiar pelo povo, e em algum momento, entre os séculos 6 e 10 e.c., foi compilado e tornou-se elemento chave da tradição de Pêssach. Pergaminhos antigos e iluminuras medievais estão entre as mais valiosas antiguidades históricas que marcam a presença judaica em vários países do globo e são atualmente valiosos objetos expostos em museus e adquiridos por colecionadores. 

O texto é majoritariamente em hebraico, mas inclui trechos em aramaico também. Você também pode ter uma versão deste precioso texto em sua casa para se guiar pelo sêder de Pêssach. A Editora Sêfer publicou há 30 anos a versão traduzida, transliterada e ricamente ilustrada da Hagadá de Pêssach, a mais utilizada nas escolas judaicas e nos lares de todo o Brasil. Recentemente revisada e reeditada, a nova edição ganhou um banho de modernidade sem perder o visual já conhecido e amado por mais de 35 mil leitores. 

O ideal é ter uma hagadá para cada participante do sêder, portanto conte seus convidados e assegure-se com antecedência de que você tem a quantidade de livros adequada para todos à mesa participarem de forma ativa e envolvente. E para as crianças, lançamos recentemente uma versão infantil especial, a Hagadazinha de Pêssach. Ricamente ilustrada, foi composta de forma didática para trazer os principais trechos do sêder direto ao universo divertido da criança. Veja a explicação e imagens internas destes livros no vídeo abaixo:

Aproveite estas promoções:

Como falamos, não somos chamados de povo do livro à toa. Outros textos e cerimônias são intrínsecas ao feriado judaico de Pêssach. Começando pelas preces diárias, que sofrem alterações e acréscimos específicos à festa, e as leituras bíblicas determinadas por nossos sábios, tudo está devidamente explicado no Sidur Completo e no Sidur Completo Sefaradi, ambos da Editora Sêfer, com tradução para o Português e transliteração da pronúncia hebraica para letras latinas. 

Por tratar-se de uma festa bíblica tão importante, com tantos detalhes e particularidades, é necessário estudar e recordar anualmente, pois sempre há mais informações para aprender e enriquecer o significado do Pêssach. Literatura judaica focada nos contextos históricos, costumes e leis que permeiam o calendário cultural e religioso do povo de Israel são uma ótima pedida e também excelentes presentes para familiares, amigos e anfitriões. Desde a enciclopédia obrigatória em todo lar de Torá – O Livro do Conhecimento Judaico – até obras sobre Judaísmo Básico – Livro Judaico dos Porquês, Na Espiral do Tempo e O Mais Completo Guia sobre Judaísmo, entre outros – você sempre tem a ganhar se preparando também no aspecto intelectual e espiritual para este e outras datas marcantes do ano judaico.

Não podemos deixar de mencionar os pequenos e talvez principais personagens de Pêssach: as crianças; afinal, a principal mitsvá (mandamento) desta festa é de contar a história do êxodo do Egito para as próximas gerações! Para elas, recomendamos O Ano Judaico Ilustrado, que vai lhes acompanhar por todos os eventos tradicionais do nosso calendário.

E, falando em costumes, uma belíssima tradição judaica se inicia durante a semana de Pêssach – a leitura do Pirkê Avót durante os 50 dias que conectam a saída do Egito ao recebimento da Torá, comemorado na festa de Shavuót. O tratado de Avót é um dos livros do Talmud, e é focado no aperfeiçoamento moral e ético, o cerne do pensamento judaico. Nossa nova edição da famosa A Ética do Sinai, traz o texto em hebraico ao lado de sua tradução para o português e profundos comentários que conectam o leitor à essência da Torá, preparando-o para comemorar seu recebimento ao final desta preparação. É uma oportunidade incrível participar deste estudo conjunto de milhares de judeus pelo globo!

4 copos de vinho não é demais?

Você leu corretamente! Temos a mitsvá (mandamento) de beber 4 copos de vinho no sêder de Pêssach. Claro que podemos usar suco de uva e alternar entre opções mais ou menos alcoólicas, mas esta é uma das mais marcantes e significativas tradições judaicas desta data. Está se perguntando como será possível? Vamos explicar!

Durante a cerimônia que antecede o jantar tradicional, há quatro momentos em que, após louvarmos a Deus pelo salvamento que Ele realizou, recitamos a bênção do vinho (Bendito sejas Tu, Eterno, nosso Deus, Rei do Universo, que criaste o fruto da videira.) e tomamos o conteúdo de nossos copos. Há diversas explicações para o porquê desta tradição. A mais famosa é que se relacionam às quatro expressões usadas na Torá ao descrever a salvação que Ele nos proporcionou: vehotsêti, vehitsalti, vegaalti e velacáchti. Outra ideia conhecida é a relação com os quatro exílios que o povo judeu vivenciou, a começar pelo presentemente relacionado: Egito, Babilônia, Grécia e Roma. O Talmud de Jerusalém, por sua vez, associa os quatro copos de vinho do sêder com as quatro menções a vinho que aparecem nos versículos bíblicos que narram o episódio em que Iossef (José) interpreta o sonho do copeiro do Faraó, intimamente relacionado à decorrente libertação do patriarca, sua nomeação ao importante cargo público e à consequente vinda de Iaacov (Jacob) e as 12 tribos para a terra do Egito.

O que poderia ser apenas um detalhe desta noite importante, de repente assume um papel central na comemoração da liberdade, não é mesmo? Por isso, é costume investir em excelentes bebidas e utensílios especiais para honrar este costume. O cálice de vinho é elemento imprescindível em todo lar judaico, sendo usado durante o ano todo na mesa de shabat e chaguim (feriados judaicos). Como temos restrições sérias a comidas, especialmente ao pão fermentado, durante esta festividade, costumamos manter um conjunto de louça e ítens de mesa separados para Pêssach, e não podemos deixar de reservar um cálice para comemorar esta mitsvá com pompa e estilo. Se você ainda não tem um cálice de vinho para Pêssach, agora é a hora de conhecer os modelos que temos na loja e encomendar com tempo de sobra para receber em casa. Veja só que lindos os cálices que temos à disposição:


Cálice de vinho

Mais um ítem da lista de pendências equacionado. Pode respirar mais tranquilo sabendo que pensou nos pequenos detalhes e que não vai faltar nada para atrapalhar sua celebração. E pode deixar que nós pensamos em mais alguns elementos importantes que você não pode esquecer.

Pêssach é cheio de detalhes

Até aqui, falamos dos ítens mais famosos relacionados à festa. Agora, vamos voltar nossa atenção a itens menores, já característicos em outros momentos do ano judaico, mas não menos importantes. Por exemplo, a caneca de netilat yadáim (lavagem ritual das mãos). Você sabia que, no sêder de Pêssach, lavamos as mãos não apenas uma mas duas vezes? Isso quer dizer que a fila será mais longa e a demora, prolongada. Talvez vale a pena organizar dois pontos de netilát yadáim na sua casa, cada um com sua caneca. E se quiser aproveitar para impressionar seus convidados, invista numa caneca
decorada, 
eles vão adorar a experiência!

Assim como fazemos no shabat e outras festas judaicas, acendemos velas para receber cada yom tóv da festa de Pêssach (fora de Israel, os dois primeiros e os dois últimos dias). Aproveite para limpar bem seus castiçais, ou aproveite a ocasião para investir em castiçais especiais para este momento. Se você for receber convidados, assegure-se de que há castiçais e velas suficientes para todas as mulheres que costumam acender e abençoar. Veja nossa seleção de castiçais e clique aqui para ir direto para nossa seção de velas.

 

Você sabia que existem concursos e exposições internacionais de decoração de mesa de Pêssach? Já que ficamos horas e horas ao redor dela, os ítens que acomodamos sobre a toalha tem uma importância especial, e são uma oportunidade de trazer mais vida a esta festa. Que tal abrilhantar sua mesa com guardanapos temáticos? Temos algumas opções no nosso site.


A preparação de Pêssach inclui a limpeza da casa, a separação de louça limpa e a eliminação total dochamêts (o pão fermentado), proibido durante os 8 dias da comemoração. É recomendado organizar a cozinha, sinalizando utensílios e armários que contém objetos que podem ser usados, e o uso de etiquetas especiais é uma das práticas mais comuns. Já os rituais de busca e queima do chamêts podem ser encontrados na Hagadá de Pêssach, o livro específico deste feriado, cerimônias que contam com acessórios tradicionais específicos.

É verdade que estamos falando de detalhes, mas o próximo item é talvez o mais importante de todos quando falamos de Pêssach – as crianças. Uma das principais mitsvót (mandamentos) do sêder é relatar o Êxodo do Egito para a próxima geração. No jantar cerimonial, narramos de forma didática, através de canções, histórias e movimentos curiosos, tudo para suscitar a curiosidade dos pequenos. E que tal ensinar este importante capítulo da história do povo judeu de forma lúdica?

No espírito de agradecimento

O feriado é judaico, mas como bom e educado brasileiro, não podemos chegar na casa de ninguém com as mãos abanando, não é mesmo? Além disso, a festa em questão é celebrada justamente para agradecermos nosso Criador pela salvação do Egito. Se você foi convidado para comemorar o sêder de Pêssach na casa de outra pessoa ou para almoçar no lar de amigos ou familiares, considere demonstrar sua gratidão através de um presente especial e inesquecível. Pêssach é tão especial que, ano após ano, o presenteado verá aquele objeto que você deu e lembrará com carinho da feliz ocasião em que te recebeu (quem sabe não acaba rolando um novo convite?).

Se você for recepcionar o jantar de seus amigos e familiares, o que acha de providenciar objetos para eles usarem e levarem depois para casa? Nada como um presente útil e significativo para transmitir seu carinho e atenção. Que tal uma Hagadá de Pêssach para cada integrante utilizar e depois chamar de sua? Será com certeza muito útil!

Selecionamos alguns livros e produtos que serão excelentes presentes para aqueles que merecem uma demonstração de gratidão ou amor.


Ufa! Presentes de Pêssach equacionados! Pode riscar também este item da sua lista!

Se tem uma festa no calendário judaico que deixa qualquer um ansioso, é Pêssach. O feriado começa a ser preparado assim que Purim acaba, com todos os preparativos de limpeza, organização e compras que lhe são característicos. Nós, da Sêfer, queremos te ajudar nesta preparação, para você estar tranquilo que não esqueceu de nada e aproveitar a aproximação da festividade com mais calma e introspecção – afinal, a preparação intelectual e espiritual é igualmente, ou talvez mais, importante. Conte sempre com a Sêfer na hora de comemorar os eventos do calendário judaico.

Está quase na hora de nos cumprimentarmos dizendo: Pêssach Casher Vessamêach!

Comentário